sexta-feira, 9 de agosto de 2019

FESTA 61 - O BERRO DO POVO

FESTA 61 - FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO
"O BERRO DO POVO"

Dia 30 de Agosto - Sexta feira


Teatro Sesc Santos


20h30 ( Retirada de ingressos no teatro 2 horas antes )


 ESPETÁCULO DE ABERTURA:  INÚTIL CANTO E INÚTIL PRANTO PELOS ANJOS CAÍDOS – Texto de Plínio Marcos 


 A peça é um ato-espetáculo-musical sobre o encarceramento no Brasil a
partir da obra de Plínio Marcos.
Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos é um conto escrito pelo
autor em 1977 sobre a morte de detentos que se rebelaram em uma cadeia
de Osasco. Na montagem, o conto foi inteiramente transformado em
música e é cantado em coro por 15 atores e atrizes em cena, acompanhados
por quatro músicos violonistas. Os textos Barrela, escrita em 1959 e
Mancha Roxa de 1989, também de Plínio, entraram na dramaturgia
ajudando a debater temas específicos dos cárceres masculino e
feminino, respectivamente. A encenação narra através do coro, cenas,
depoimentos, solos de dança e personagens, trajetórias de homens e
mulheres que vivem ou viveram no cárcere.


Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos é um Ato-Espetáculo Musical
feito por atores e atrizes do último ano da Escola de Arte Dramática - USP e
dirigido por Rogério Tarifa, constrói um espaço poético de atuação que
ultrapassa o espaço cênico e provoca à plateia e a nós mesmos, a partir daí,
discutirmos questões do cárcere que parecem não fazer parte de nossas vidas.
Tem direção musical e preparação vocal de William Guedes e composições de
Jonathan Silva, ambos vencedores do Prêmio Shell de Teatro e parceiros de
Tarifa em espetáculos como: Concerto de Ispinho e Fulô e Cantata para um
Bastidor de Utopias, da Cia do Tijolo e Canto Para Rinocerontes e Homens do
Grupo Teatro do Osso - oriundo da EAD-USP. O Ato-espetáculo teve sua pré-
estreia na Sala Alfredo Mesquita dentro da Escola de Arte Dramática em
outubro de 2017 e propõe que atores, atrizes, músicos e público ocupem a
mesma roda, formando uma grande ágora onde cantamos inspirados por Plínio
Marcos, que diz: O teatro só faz sentido quando o palco é uma tribuna livre,
onde se possa discutir até as últimas consequências os problemas do mundo.


 FICHA TÉCNICA 
Texto original: Plínio Marcos. 
Dramaturgia: Jonathan Silva, Raquel Parras, Rogério Tarifa e Elenco. 
Direção: Rogério Tarifa. 
Direção Musical e Preparação Vocal: William Guedes. 
Composição Geral: Jonathan Silva 
Música “Nascedouro” de Raquel Parras 
Música “Samba Contra a Redução da Maioridade Penal” de Mumu de Oliveira.
Cantora Convidada: Ndu Siba. 
Músicos: Evandro Cavalcante, Giorgio Arthur Passerino, Victor Mendes, Danilo Moura e Daniel Henrique Frederico
Direção de Movimento: Marilda Alface. 
 Parceria Poética: Isabel Setti. 
Desenho de Luz: Rafael Souza Lopes. 
Operação de luz: Nara Zocher e Vinícius Bogas. 
Cenotécnica: Zito Rodrigues e Nilton Ruiz Dias. 
Direção de Arte: Andreas Guimarães, Mirella Façanha e Rogério Tarifa. 
Figurino: Andreas Guimarães, Mirella Façanha, Rogério Tarifa e Elenco. 
Orientação de Figurino: Silvana Carvalho. 
Exposição Fotográfica e Fotos: Sérgio Silva. 
Projeto Gráfico: Walmick de Holanda. 
Ilustrações: Mirella Façanha. 
Elenco: André Cézar Mendes, Binho Cidral, Camila Cohen, Danilo Martim,
Darília Lilbé, Evandro Cavalcante, Hélio Toste, Inayara Iná Samuel, Julio Silvério,
Lilian Regina, Luiz Felipe Bianchini, Maria Eduarda Machado, Raquel Parras, Romário

Oliveira, Walmick de Holanda.



sábado, 1 de junho de 2019


   EDITAL DE CHAMAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DE ESPETÁCULOS TEATRAIS FESTA 61

                         REGIONAIS - BAIXADA SANTISTA                          
                                      


MOVIMENTO TEATRAL DA BAIXADA SANTISTA

FESTA 61 - FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO

O BERRO DO POVO

   EDITAL DE CHAMAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DE ESPETÁCULOS TEATRAIS REGIONAIS-BAIXADA SANTISTA



O Movimento Teatral da Baixada Santista para conhecimento dos interessados, torna público o presente edital de seleção para espetáculos da categoria REGIONAL – BAIXADA SANTISTA para o FESTA 61- FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO - O BERRO DO POVO que acontecerá de 01/09/2019  a 07/09/2019, através de parceria entre o Movimento Teatral da Baixada Santista, Sesc Santos, Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Santos, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Governo do Estado de São Paulo – ProAc Festivais de Artes II 2018/2019.



I- DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 

Art. 1º - O FESTA 61 é uma mostra da diversidade teatral, que contempla espetáculos dos mais variados gêneros e formatos,  para público adulto e infanto juvenil, em espaços convencionais, alternativos e de rua. Neste ano, com o tema “O BERRO DO POVO", o festival trará grupos nacionais e estaduais cujos trabalhos reflitam sobre o tema e uma mostra com a produção contemporânea regional.



II - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 


Art. 2º - Poderão se inscrever neste edital pessoas jurídicas representantes de grupos, companhias, produtoras teatrais  do Estado de São Paulo e do país que contemplem a área/atividade teatral

III - DAS INSCRIÇÕES 



Art. 3º - Os grupos interessados em participar devem acessar encaminhar a plataforma  virtual: http://festa61.movase.info  e preencher os campos com o seguinte material:


a) Release



b) Sinopse


c) Ficha técnica

d) 3 Fotos em alta resolução – mínimo de 300 dpis (em caso de espetáculo inédito deverão encaminhar fotos de ensaio)

e) Histórico da peça/ Grupo comprovando que o espetáculo já estreou e realizou no  mínimo 3 apresentações 

f) Proposta de pesquisa e encenação.

g) Autorização SBAT ou liberação do autor.

h) Classificação indicativa

i) Duração do espetáculo

j) Contato do grupo pra divulgação: Site, blog, e-mail, redes sociais, etc;

k) Rider Técnico – especificar necessidades técnicas, mapa de som e luz.

l) Links de vídeo do espetáculo. Se o link do vídeo for fechado enviar senha;

m) Clipping, materiais adicionais.


n) Tempo de montagem e desmontagem.


Art. 4º - As inscrições deverão ser realizadas impreterivelmente do dia 21 de Maio de 2019 até às 23:59h do dia 21 de Junho de 2019, via plataforma virtual.


a) Não serão aceitas as inscrições que deixem de atender qualquer das exigências referidas nos itens do edital



IV - DA SELEÇÃO 



Art. 5º-  Mostra Regional da Baixada Santista


     a) Seguindo o modelo de curadoria coletiva proposto pelo Movimento Teatral da Baixada Santista, a seleção será realizada em 3 etapas:

    ETAPA 1- Atividade formativa voltada à curadoria com participação de pelo menos 1 (hum) integrante do grupo inscrito no dia 23 de junho; domingo às 17h na Cadeia Velha(opção 1) ou no Teatro Guarany (Opção 2) com Alexandre Mate.

    ETAPA 2- Atividade formativa voltada à curadoria com participação de pelo menos 1 (hum) integrante do grupo inscrito no dia 30 de junho; domingo às 17h na Cadeia Velha(opção 1) ou no Teatro Guarany (Opção 2) com Kil Abreu.

    ETAPA 3 – Integrante que participou das atividades formativas poderá votar pelo grupo que representa em reunião de curadoria da mostra regional no dia 14 de Julho, Domingo às 14h, no Centro Cultural Cadeia Velha, após o fim das inscrições, em comissão formada por um integrante de cada grupo inscrito e a organização do festival, não sendo válido avaliar o seu próprio trabalho - sistema de voto aberto e justificado durante a reunião.

      b) Serão selecionados até 7 (sete)  espetáculos regionais mais votados para a programação do                FESTA 61.

c) A curadoria coletiva deverá observar os seguintes critérios para a seleção de espetáculos,                    independente de gênero (teatro adulto, infanto-juvenil, infantil, rua, circo-teatro e teatro musical): 



        c1) Relevância e excelência artística do grupo e espetáculo; 


        c2) Histórico do Grupo e do espetáculo;

        c3) Proposta de Pesquisa e Encenação 



Art.6° Do Pagamento

      Todos os grupos selecionados terão  seu cachê formado por duas partes, parcela única de 1500 reais ( ajuda de custo de transporte, alimentação  e equipe técnica do espetáculo). A segunda parcela será  calculada conforme o número de integrantes da ficha técnica  correspondente ao elenco e direção.
  
     Serão  divididos entre categorias e diferentes valores, para trabalhos que envolvam de 1 um a 3 três artistas, de 4 quatro a 7 sete e acima de 8 oito integrantes.

      O total do valor a ser dividido será  de 14 mil reais.

O pagamento dos grupos selecionados seguirá o seguinte procedimento: 



a) Será necessária apresentação de nota fiscal referente a parcela 1 no mês de setembro e nota fiscal        referente a parcela 2 em dezembro de 2019.


V - DAS RESPONSABILIDADES DA PRODUÇÃO DOS ESPETÁCULOS 



Art. 7º - Os grupos participantes se responsabilizarão por qualquer incidência de ação fiscal que possa haver por parte dos órgãos SBAT, ECAD e Autores Independentes, devendo regularizar o uso das obras utilizadas em seu espetáculo junto às instituições responsáveis e comprovar a liberação do espetáculo por estas instituições no ato da contratação.



Art. 8º - Em caso dos grupos possuírem menores de idade como integrantes, deverá ser apresentada autorização dos pais ou responsáveis legais, assim como da Vara de Infância e Juventude.

Art. 9º - Será de total responsabilidade das produções dos espetáculos selecionados os materiais cênicos, assim como seu transporte até o local de apresentação, montagem e operação de luz e som, acompanhada dos técnicos do festival. O resguardo de materiais cênicos e técnicos necessários à apresentação antes, durante e após o Festival também são de responsabilidade dos grupos. O transporte de cenários e equipamentos dos grupos nacionais e estaduais até a cidade de Santos/SP, será de responsabilidade dos grupos. 

Art.10º- As montagens e apresentações dos espetáculos deverão ocorrer rigorosamente nos dias, locais e horários pré-estabelecidos pela organização do Festival, não sendo permitidos atrasos e mudanças. Em caso de chuva os espetáculos de rua serão transferidos para outro local e/ou data.

Art. 11º- Cada grupo, após a sua apresentação, deverá retirar todo seu material dos espaços. O FESTIVAL não se responsabilizará por materiais/equipamentos deixados em camarins e/ou espaços cênicos. 

Art. 12º - Caso o grupo utilize materiais inflamáveis, explosivos e que prejudiquem o espaço cênico, deve se comunicar a organização do festival para que sejam providenciadas as autorizações, liberação e apoio específico. 




Informações e dúvidas para o email:festivalteatrosantos@gmail.com 



MTBS - MOVIMENTO TEATRAL DA BAIXADA SANTISTA
2019







sexta-feira, 31 de maio de 2019

EDITAL DE CHAMAMENTO FESTA 61 - O BERRO DO POVO - MOSTRAS ESTADUAL E NACIONAL

           EDITAL DE CHAMAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DE ESPETÁCULOS TEATRAIS 
                                                       
FESTA 61- O BERRO DO POVO

MOSTRAS ESTADUAL E NACIONAL


MOVIMENTO TEATRAL DA BAIXADA SANTISTA
                                           
  FESTA 61 - FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO 
                                                            
     - O BERRO DO POVO -  

EDITAL DE CHAMAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DE ESPETÁCULOS TEATRAIS ESTADUAIS E NACIONAIS.

O Movimento Teatral da Baixada Santista para conhecimento dos interessados, torna público o presente edital de seleção para espetáculos das categorias ESTADUAL E NACIONAL para o FESTA 61- FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO - O BERRO DO POVO que acontecerá de 30/08/2019 a 07/09/2019, através de parceria entre o Movimento Teatral da Baixada Santista, Sesc Santos, Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Santos, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Governo do Estado de São Paulo – ProAc Festivais de Artes II 2018/2019. 

I- DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 

Art. 1º - O FESTA 61 é uma mostra da diversidade teatral, que contempla espetáculos dos mais variados gêneros e formatos, para público adulto e infanto juvenil, em espaços convencionais, alternativos e de rua. Neste ano, com o tema “O BERRO DO POVO", o festival trará grupos nacionais e estaduais cujos trabalhos reflitam sobre o tema e uma mostra com a produção contemporânea regional. 

Sobre o tema: O BERRO DO POVO 

Em 2019, em sua 61ª edição, o FESTA celebrará o dramaturgo santista Plínio Marcos, falecido há 20 anos em 1999, um dos mais perseguidos e censurados pela ditadura militar e autor de clássicos do teatro brasileiro. Sua obra tematizou a profunda desigualdade social brasileira e os conflitos de grupos minoritários e historicamente marginalizados. O Festival Santista de Teatro, onde em
1959 Plínio estréia seu texto “Barrela”, propõe trazer à cena espetáculos que discutam o Brasil e o mundo contemporâneo e suas contradições políticas e históricas, como reflexão sobre as diversas formas de violências cotidianas presentes na nossa sociedade. 

II - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 

Art. 2º - Poderão se inscrever neste edital pessoas jurídicas representantes de grupos, companhias, produtoras teatrais do Estado de São Paulo e do país que contemplem a área/atividade teatral 

III - DAS INSCRIÇÕES

Art. 3º - Os grupos interessados em participar devem acessar a plataforma virtual: festa61.movase.info e indicar a categoria: Estadual ou Nacional conforme sua procedência, após isso, preencher o formulário com o seguinte material: 

a) Release 

b) Sinopse 

c) Ficha técnica 

d) 3 Fotos em alta resolução – mínimo de 300 dpis 

e) Histórico da peça/ Grupo *comprovando que o espetáculo já estreou e realizou no mínimo 3 apresentações 

f) Proposta de pesquisa e encenação. 

g) Autorização SBAT ou liberação do autor. 

h) Classificação indicativa 

i) Duração do espetáculo 

j) Contato do grupo pra divulgação: Site, blog, e-mail, redes sociais, etc; 

k) Rider Técnico – especificar necessidades técnicas, mapa de som e luz. 

l) Links de vídeo do espetáculo. Se o link do vídeo for fechado enviar senha (em caso de espetáculos inéditos, deverão ser encaminhados vídeos de ensaio)

m) Clipping, materiais adicionais. 

n) Tempo de montagem e desmontagem. 

Art. 4º - As inscrições deverão ser realizadas impreterivelmente do dia 31 de Maio de 2019 até às 23:59h do dia 30 de Junho de 2019, via plataforma virtual. 

a) Não serão aceitas as inscrições que deixem de atender qualquer das exigências referidas nos itens do edital IV - DA SELEÇÃO 

Art. 5° Da Mostra Nacional e Estadual 

a) A curadoria se dará pela produção do festival. 

b) Serão selecionados 1(hum) grupo nacional e 4(Quatro) grupos estaduais. 

c) A curadoria observará os seguintes critérios: 

   c-1) Pertinência com o tema do Festival: O BERRO DO POVO 
   c-2) Relevância e excelência artística do grupo e espetáculo. 
   c-3) Histórico do Grupo e Encenação 
   c-4) Proposta de Pesquisa e Encenação 

d) O espetáculo nacional selecionado receberá cachê de R$8.000,00 (Oito mil reais). Os espetáculos estaduais selecionados receberão um cachê de R$4.500,00 (Quatro mil e quinhentos reais). O pagamento dos grupos selecionados seguirá o seguinte procedimento:

   d-1) Será necessária apresentação de nota fiscal referente a parcela 1 no mês de agosto e nota fiscal             referente a parcela 2 em dezembro de 2019. 

V - DAS RESPONSABILIDADES DA PRODUÇÃO DOS ESPETÁCULOS

Art. 6º - Os grupos participantes se responsabilizarão por qualquer incidência de ação fiscal que possa haver por parte dos órgãos SBAT, ECAD e Autores Independentes, devendo regularizar o uso das obras utilizadas em seu espetáculo junto às instituições responsáveis e comprovar a liberação do espetáculo por estas instituições no ato da contratação. 

Art.7º - Em caso dos grupos possuírem menores de idade como integrantes, deverá ser apresentada autorização dos pais ou responsáveis legais, assim como da Vara de Infância e Juventude. 

Art. 8º - Será de total responsabilidade das produções dos espetáculos selecionados os materiais cênicos, assim como seu transporte até o local de apresentação, montagem e operação de luz e som, acompanhada dos técnicos do festival. O resguardo de materiais cênicos e técnicos necessários à apresentação antes, durante e após o Festival também são de responsabilidade dos grupos. O transporte de cenários e equipamentos dos grupos nacionais e estaduais até a cidade de Santos/SP, será de responsabilidade dos grupos. 

Art.9º- As montagens e apresentações dos espetáculos deverão ocorrer rigorosamente nos dias, locais e horários pré-estabelecidos pela organização do Festival, não sendo permitidos atrasos e mudanças. Em caso de chuva os espetáculos de rua serão transferidos para outro local e/ou data. 

Art. 10º- Cada grupo, após a sua apresentação, deverá retirar todo seu material dos espaços. O FESTIVAL não se responsabilizará por materiais/equipamentos deixados em camarins e/ou espaços cênicos. 

Art. 11º - Caso o grupo utilize materiais inflamáveis, explosivos e que prejudiquem o espaço cênico, deve se comunicar a organização do festival para que sejam providenciadas as autorizações, liberação e apoio específico. Água e papeis picados deverão ser retirados do palco pelo grupo após a apresentação.

Informações e dúvidas para o email:festivalteatrosantos@gmail.com 


MTBS - MOVIMENTO TEATRAL DA BAIXADA SANTISTA 2019

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

PROGRAMAÇÃO OFICIAL FESTA 60 - Festival Santista de Teatro


FESTA 60 - FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO - MULHERES EM CENA
DE 24 DE AGOSTO A 02 DE SETEMBRO DE 2018
PROGRAMAÇÃO COMPLETA

“Mulheres em Cena: Da Luta de Pagu aos Dias de Hoje” é o tema do histórico [FESTA60],
que terá ainda extensa programação paralela contemplando música, artes visuais e outros.

O mais antigo festival de artes cênicas em atividade no país está completando seis décadas. De 24 de agosto a 2 de setembro, o FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO [FESTA 60], realiza sua histórica 60ª edição com extensa programação gratuita, que inclui 20 espetáculos de seis estados, e uma série de atividades paralelas, contemplando diversas linguagens artísticas, debates e intervenções.
O tema deste ano é “Mulheres em Cena: Da luta de Pagu aos dias de hoje”, que propõe uma reflexão acerca da atualidade da vida e obra da autora, diretora, cronista e militante política Patrícia Galvão (1910-1962), idealizadora do festival, além de tantas outras que – em cena e também fora dela – contribuíram para os movimentos culturais do país.
A abertura ocorre no Teatro Coliseu, dia 24 de agosto, sexta-feira, às 21h, com “A Vida em Vermelho - Brecht & Piaf”, com Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto e direção de Bruno Perillo.
Três módulos integram a programação oficial: a Mostra Regional, com nove produções da Baixada Santista, definidas por meio de curadoria coletiva junto ao Movimento Teatral da região; e as mostras Estadual e Nacional, que contemplam, respectivamente, seis e quatro espetáculos, apresentando um recorte significativo da produção brasileira acerca do tema escolhido.
A diversidade de gêneros e formatos para diversos públicos, além da ocupação de espaços convencionais, alternativos e de rua, são outros traços perenes ao festival que seguem mantidos.
“Historicamente o FESTA tem debatido e construído junto com a sociedade visões importantes sobre os temas que se propõe a discutir. Nesta edição tão significativa, nada mais justo que homenagear Pagu e tantas mulheres que já passaram pelos palcos e ruas santistas, especialmente hoje, quando se colocam à frente de vários movimentos, culturais ou não, sempre com muita garra, atitude e sensibilidade”, afirma Raquel Rollo, produtora e uma das organizadoras do festival.

Confira a programação Oficial do festival por dia e horários e logo abaixo as sinopses e informações completas de cada atividade.
 
Programação Oficial
(Datas e  Locais )

Sexta, 24 De Agosto
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘A Malvada’, na Mostra de Longas FESTA 60
20h30 - Teatro Coliseu | Coro Cênico Céu da Boca (Santos)
21h – Teatro Coliseu | A Vida Em Vermelho - Brecht E Piaf, com Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto (São Paulo)
23h - Teatro Coliseu |Dj Afreekassia

Sábado, 25 De Agosto
9h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Interpretação, com Fernanda Azevedo
15h - Centro Cultural Cadeia Velha | Abertura das Exposições ‘Mulheres² Impressões de Corpo e Alma’, curadoria de Márcia Okida (Produção Multimídia Unisanta), 'CELLOGRAF', ‘Viva Pagu’, da escritora Lúcia Teixeira e ‘TEP-Unisanta 50 anos - digital’
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘Pina, na Mostra de Longas FESTA 60
16h – Praça dos Andradas | Roda 7 Saias, com ‘Feira das Mulheres Artesãs’
17h – Praça dos Andradas | Roda 7 Saias, com exposição da fotógrafa Juliana Florentino / Cia Cena Preta
18h – Praça dos Andradas | Roda 7 Saias, com exibição da Websérie 'Nossa Voz Ecoa’ 
19h – Praça dos Andradas | Roda 7 Saias, com Oficina do Coco das Marias
20h30 – Teatro Guarany | Abertura da exposição Ameseginalehu, da fotógrafa Bruna Veloso
21h – Teatro Guarany | Carne, da Kiwi Companhia de Teatro (São Paulo)
23h - Praça dos Andradas | O Canto das Mulheres do Asfalto, d’O Canto das Mulheres do Asfalto (São Paulo)
23h59 – Praça dos Andradas | Noite das Minas do Hip Hop, com Preta Rara

Domingo, 26 De Agosto
9h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Interpretação, com Fernanda Azevedo
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘A Falecida’, na Mostra de Longas FESTA 60
18h30 - Feirarte |O Canto das Mulheres do Asfalto, d’ O Canto das Mulheres do Asfalto (São Paulo)
10h - Orla da Praia | Cortejo Praiaças | Movimento de Palhaçaria Feminina da B. Santista
11h – Orla da Praia | Cinderela Brasileira, do Grupo Casa 3 (Guarujá)
12h30 – Orla da Praia | Willian...e nós..., do Coletivo Makeshake (Baixada Santista)
14h - Centro Cultural Cadeia Velha de Santos | Roda de Conversa ‘Perspectiva Histórica e Contemporânea da Mulher no Teatro
19h – Teatro Municipal Brás Cubas | Abertura da Exposição TEP 50 anos
19h – Teatro Municipal Brás Cubas | As Fiandeiras, do TEP (Santos)
20h30 – Praça dos Andradas | A Farsa do Açúcar Queimado ou A Mulher que virou Pudim, do Núcleo Sem Drama (São Paulo)
21h30 – Centro Cultural Cadeia Velha de Santos | Entre Nós, do Coletivo Arremate de Teatro (Fortaleza)
22h30 – Praça dos Andradas | Intervenção ‘ABSM – Desobediente, Malcriada e Subversiva’

Segunda-feira, 27 de Agosto
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘Cabaret’, na Mostra de Longas FESTA 60
12h Praça Mauá | A Farsa do Açúcar Queimado ou A Mulher que virou Pudim, do Núcleo Sem Drama (São Paulo)
19h – Centro Cultural Cadeia Velha | Encontro ‘Pautas e Lutas’ com o MTBS
21h - Centro Cultural Cadeia Velha | Mostra das Minas

Terça-feira, 28 de Agosto
10h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Direção, com Georgette Fadel
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘Tudo sobre minha mãe’, na Mostra de Longas FESTA 60
19h – Doca Valongo | Curadoria do Festival Valongo
21h – Teatro Guarany | Um Discurso para Minha Vó, da Cia Vozavós (Santos)

Quarta-feira, 29 de Agosto
10h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Direção, com Georgette Fadel
16h – Cine Arte Posto 4 | ‘Riscado’, na Mostra de Longas FESTA 60
18h - Centro Cultural Cadeia Velha | Exibição do Documentário Górgona
19h - Centro Cultural Cadeia Velha | Bate-Papo com a atriz Maria Alice Vergueiro
21h – Teatro Guarany | GPS Gaza, da Cia de Solos & Bem Acompanhados (Porto Alegre)

Quinta-feira, 30 de Agosto
16h – Centro Cultural Cadeia Velha | O Grande Circo Místico, com o Projeto Guri
19h30 – Teatro Guarany | Fontainebleau, da Bella Cia. Teatro e Circo (Santos)
21h – Centro Cultural Cadeia Velha| Pagu, qual o gosto do mundo? As várias faces de Patrícia Galvão, da Cia Teatral Carcarah Voador (Santos)
22h30 - Centro Cultural Cadeia Velha | Lançamento do livro ‘Circo Teatro: uma Bella Companhia + Cabaret Pagu

Sexta-feira, 31 de Agosto
12h – Praça Mauá | Arrastão, da Cia Etra de Dança (Santos)
16h – Centro Cultural Cadeia Velha - Sala Plínio Marcos | Hysteria, Grupo XIX de Teatro (São Paulo)
19h - Centro Cultural Cadeia Velha | Coro Cênico Céu da Boca
21h – Teatro Guarany | Isso não é uma mulata, da Gameleira de Artes (Salvador)
23h – Praça Iguatemi Martins | Zona!, d’O Coletivo (Baixada Santista)
23h – Praça dos Andradas | For All (Para elas) + Show Fé Menina...

Sábado, 1 de Setembro
10h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Interpretação Melodramática, com Fabíola Morais
12h – Emissário Submarino | Arrastão, da Cia Etra de Dança (Santos)
14h - Centro Cultural Cadeia Velha | Roda de conversa ‘Perspectiva Histórica e Contemporânea da Mulher no Teatro
16h – Emissário Submarino | Willian...e nós..., do Coletivo Makeshake (Baixada Santista)
19h – Teatro Guarany | A Revolução das Águas, da Associação Cultural Incena Brasil (Cubatão)
20h30 – Doca Valongo | Feminino Abjecto, do Núcleo Feminino Abjecto (São Paulo)
23h – Centro Cultural Cadeia Velha| Naturaleza Muerta, da Cia La Desdeñosa (São Paulo)
23h49 – Praça dos Andradas | Intervenção Urbana ‘A Praça é Delas’

Sábado, 2 de Setembro
10h – Centro Cultural Cadeia Velha | Oficina de Interpretação Melodramática, com Fabíola Morais
14h - Ceu das Artes Da Zona Noroeste |Cinderela Brasileira, do Grupo Casa 3 (Guarujá)
14h – Monte Serrat | Cortejo Praiaças, do Movimento de Palhaçaria Feminina da B. Santista
16h – Centro Cultural Cadeia Velha | Debate Geral com os Grupos da Mostra Regional
19h30 – Teatro Municipal Brás Cubas | Vaga Carne, de Grace Passô (Belo Horizonte)
21h – Teatro Guarany | Clarianas, grupo de pesquisa musical
22h – Praça dos Andradas | Intervenção Urbana ‘Ocupação Ela’ + performance Kamakhia



PROGRAMAÇÃO 
SINOPSES + INFORMAÇÕES

SEXTA, 24 DE AGOSTO, 21H – TEATRO COLISEU | ABERTURA
[A VIDA EM VERMELHO - BRECHT E PIAF] MOSTRA NACIONAL
O texto imagina um encontro entre a cantora francesa Edith Piaf (1915-1963) e o poeta e
dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956). Enquanto ensaiam um espetáculo que vão
apresentar naquela noite, os dois interpretam músicas como La Vie En Rose, de Piaf, e conversam
sobre suas carreiras, planos, sonhos e amores. Texto: Aimar Labaki. Direção: Bruno Perillo.
Direção Musical: Lincoln Antonio. Elenco: Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto. Cenário:
Marisa Bentivegna. Figurinos e visagismo: Kléber Montanheiro. Luz: Aline Santini. Duração: 90
minutos. Classificação Indicativa: 12 anos.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, 21H – TEATRO GUARANY
[CARNE] | KIWI COMPANHIA DE TEATRO | MOSTRA ESTADUAL
Carne discute as relações entre patriarcado e capitalismo, mostrando o panorama da opressão de
gênero e a situação específica da violência contra as mulheres no Brasil. No trabalho cênico são
utilizadas canções populares, imagens publicitárias, estatísticas sobre a violência contra as
mulheres, trechos de romance, entre outros materiais. Direção e Concepção de Espaço: Fernando
Kinas. Elenco: Fernanda Azevedo e Mônica Rodrigues. Direção Musical: Eduardo Contrera.
Luz: Clébio Souza. Figurino: Fernanda Azevedo. Duração: 85 minutos. Classificação Indicativa:
14 anos.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, 23H – PRAÇA DOS ANDRADAS
+ DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 18H30 – FEIRARTE
[O CANTO DAS MULHERES DO ASFALTO] O CANTO DAS MULHERES DO ASFALTO | MOSTRA ESTADUAL
Quando as mulheres desistem de parir. Negando o futuro. Dando fim ao morticínio dos seus filhos
pela crueldade presente. Exaltando um agora sem ficções futuras, sem esperanças inúteis. O
Canto das Mulheres do Asfalto é composto por diversos cantos que desdobram a premissa de um
mundo onde as mulheres se recusam a parir novos filhos. Cansadas da realidade atual, elas
cantam suas confissões na esperança de que reavaliemos nosso presente. Refletem sobre a
sociedade contemporânea, nossas prioridades e escolhas, nosso futuro. Encenação: Georgette
Fadel. Elenco: Cris Rocha, Michele Navarro, Paula Carrara, Paula Serra, André Capuano,
Weber Fonseca. Texto: Carlos Canhameiro. Cenário e Luz: Júlio Dojcsar. Figurino: Júlia Poly.
Duração: 60 minutos. Classificação Indicativa: Livre.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 10H – ORLA DA PRAIA / RUA DE LAZER
+ DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 14H – MONTE SERRAT
[CORTEJO PRAIAÇAS] | MOVIMENTO DE PALHAÇARIA FEMININA DA B. SANTISTA | MOSTRA REGIONAL
Um grupo de 10 mulheres palhaças caminha em direção a uma praça pública, enquanto isso
acontece resolvem parodiar canções popularmente conhecidas, cantadas e escritas por autoras
mulheres, colocando suas opiniões e indagações em cada letra ali cantada e gritada como forma de
luta e resistência. Depois desse CAMINHAR lançam sua ancora a além-mar e contam suas
histórias, deixando com que o público presente se delicie com as palhaçadas e estados de cada
Praiaça, com números de adivinhações, mimicas, dança e charadas eles finalizam o cortejo cênico
musical com uma grande oração para Santa Luzia, santa de todas as palhaças e as diabas
existentes em cada uma de nós. Orientação dos Números e Concepção Plástica: Ludmilla Corrêa
e Juliana Bordallo; Elenco: Cris Vanuzzi, Dani Campos, Júlia Bertholini, Juliana do Espírito
Santo, Juliana Bordallo, Lilian Rocha, Ludmilla Corrêa, Miriã Pessoa. Musicistas: Lelê Lotus e
Natalie Gamboa. Duração: 75 minutos. Classificação Indicativa: Livre.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 11H – ORLA DA PRAIA (RUA DE LAZER)
+ DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 14H – CEU DAS ARTES DA ZONA NOROESTE
[CINDERELA BRASILEIRA] | GRUPO CASA 3 | MOSTRA REGIONAL
Um contador de causos apresenta personagens típicos do sertão nordestino revelando a história de
Cinderela Brasileira, a Gata Cangaceira. O clássico ganha uma nova roupagem e características
amplamente conhecidas do nordeste brasileiro: sotaque arrastado, o cancioneiro e o jeito autêntico
desse povo festeiro e sonhador. Texto e Direção: Kadu Veríssimo. Direção Musical: Elias Tomais.
Produção: Marcelo Wallez. Elenco: Priscila Ribeiro, Zecarlos Gomes, Kadu Veríssimo, Marcelo
Wallez e Elias Tomais. Duração: 60 minutos. Classificação Indicativa: Livre

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 12H30 –ORLA DA PRAIA / RUA DE LAZER
+ SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 16H – EMISSÁRIO SUBMARINO
[WILLIAN... E NÓS...] | COLETIVO MAKESHAKE | MOSTRA REGIONAL
O espetáculo adulto e performático tem como tema o conteúdo narrativo de toda a obra
dramatúrgica de William Shakespeare re-significada pela criação de 46 performers. Em 40 espaços
cenográficos, tais como gazebos, guarda-sóis, esteiras e beira do mar, as obras do autor são
abordadas, cenicamente, por atores que representam suas personagens, mas que, também,
constroem, como performers, seu depoimento pessoal sobre a obra, num encontro entre o passado
renascentista e a contemporaneidade. * O público, preferencialmente, deverá estar com seus trajes
de banho. Direção Artística: Maria Tornatore e Miriam Vieira. Direção Dramatúrgica: Luiz Peres.
Texto: William Shakespeare e Coletivo Makeshake. Elenco e Cenografia: Coletivo Makeshake.
Figurino: Fhátima Pinheiro. Duração: 30 a 60 minutos. Classificação Indicativa: 16 anos.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 20H30 – PRAÇA DOS ANDRADAS
+ SEGUNDA-FEIRA, 27 DE AGOSTO, 12H – PRAÇA MAUÁ
[A FARSA DO AÇÚCAR QUEIMADO OU A MULHER QUE VIROU PUDIM] NÚCLEO SEM DRAMA | MOSTRA ESTADUAL
Comédia musical documentária inspirada na história de uma lavadeira condenada pela Inquisição
vinte anos depois dos Pé Rapados perderem a guerra para os Mascates do Recife. Com
composições musicais originais executadas ao vivo e um elenco de oito
atrizes/cantoras/instrumentistas, esse espetáculo de rua alterna a comédia rasgada com a narrativa
épica, sem apelar para o melodrama. Uma farsa épica do Brasil Colônia cheia de som, fúria,
gargalhadas, lágrimas, suspense e terror. Elenco: Amanda Nascimento, Ana Souto, Ananza
Macedo, Cris Lima, Egla Monteiro, Laura Rodrigues Alves, Rafaela Carneiro, Tamy Dias e
Vitoria Carine. Dramaturgia e Direção: Ana Souto. Direção Musical: Luísa Toller. Cenário:
Lourdes Calheiros. Figurino: Clã das Cores e Núcleo Sem Drama. Duração: 70 minutos.
Classificação Indicativa: Livre.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 21H30 – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – SALA PLÍNIO MARCOS
[ENTRE NÓS] | COLETIVO ARREMATE DE TEATRO (FORTALEZA-CE) MOSTRA NACIONAL
No palco, grades de metal e objetos ditos femininos pairam pelo ar para questionar o que, de fato,
é ser mulher. Nas palavras da companhia cearense;Entre Nós: Buzinas, Chicotes e Ácido; coloca
uma lupa sobre a proteção aterrorizante de homens que cometem crimes, em contrapartida à
minimização da mulher. Questões como violência doméstica, empoderamento e equidade
permeiam o texto, que leva as assinaturas do quarteto de atrizes em cena a partir de suas próprias
experiências pessoais. Texto, Encenação, Cenário e Som: Coletivo Arremate. Elenco: Edla Maia,
Elaine Cristina, Mariana Elânie e Patrícia Crespi. Figurino: Rodrigo Ferreira. Luz: Luís
Albuquerque. Duração: 50 minutos. Classificação Indicativa:14 anos.

TERÇA-FEIRA, 28 DE AGOSTO, 21H – TEATRO GUARANY
[UM DISCURSO PARA MINHA VÓ] | CIA VOZAVÓS | MOSTRA REGIONAL
O espetáculo encontra-se nos espaços de esquecimento profundo: uma narrativa criada a partir da
lembrança da avó que a neta pensou que se lembrava, mas que inventava. Da avó que pensou que
se tinha esquecido, mas que ainda se recordava. Concepção e Interpretação: Juliana do Espírito
Santo. Operação de Luz e Som: Oswaldo Junior. Duração 45 minutos. Classificação Indicativa: 12
anos.

QUARTA-FEIRA, 29 DE AGOSTO, 21H – TEATRO GUARANY
[GPS GAZA] | CIA. DE SOLOS & BEM ACOMPANHADOS (PORTO ALEGRE-RS) MOSTRA NACIONAL
Duas atrizes e uma tela, diferentes vozes, projeções e cenas que vão do cômico ao dramático,
percorrendo as inúmeras “Faixas de Gaza” espalhadas pelo mundo inteiro, nas sociedades
contemporâneas e dentro de cada um, aqui e agora. A dramaturgia é livremente criada a partir de
fragmentos de textos, depoimentos, músicas, filmes, referências e inspirações diversas. Concepção
e Roteiro: Camila Bauer e Deborah Finocchiaro. Direção: Camila Bauer. Elenco: Deborah
Finocchiaro e Aurea Baptista. Luz: Carol Zimmer. Cenografia: Rodrigo Shalako e Antonio
Perra. Figurino: O Grupo, Ricardo Santanna e Vera Santanna. Duração: 60 minutos.
Classificação Indicativa: 14 anos.

QUINTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO, 19H30 – TEATRO GUARANY
[FONTAINEBLEAU] BELLA CIA. TEATRO E CIRCO | MOSTRA REGIONAL
Os pintores impressionistas Claude Monet (palhaço Néio) e Auguste Renoir (palhaço Feno) vão
para a floresta Fontainebleau em busca de inspiração para pintar. Ao encontrarem a belíssima
Floris Arbre (palhaça Floris), disputam o melhor lugar para pintá-la. Durante o trabalho, acontecem
pequenas confusões e um acidente que transforma o belo dia de pintura em um rabisco. O
espetáculo propõe uma viagem ao universo da arte, de maneira lúdica através do teatro, do circo,
da pintura e da música. Dramaturgia: Plínio Augusto Soares. Texto: Plínio Augusto Soares e
Paulo Barros. Elenco: Paulo Barros, Plínio Augusto Soares, Juliana Bordallo e João Paulo
Soran. Cenário, Adereços e Figurinos: Bella Cia. Sonoplastia: Paulo Barros. Luz: Ricardo
Menezes. Duração: 55 minutos. Classificação Indicativa: Livre

QUINTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO, 21H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA / CELA
[PAGU, QUAL O GOSTO DO MUNDO? AS VÁRIAS FACES DE PATRÍCIA GALVÃO | CIA TEATRAL CARCARAH
VOADOR| MOSTRA REGIONAL
Nesse jogo cênico, os atores se transformam em diversos personagens, fazendo um mergulho
fotográfico nas diversas faces de Patrícia Galvão, bem como de personagens importantes na sua
história. Utilizando-se de diferentes linguagens, viajam livremente nos caminhos da
contemporaneidade, afim de tentar desvendar e desmistificar esta figura tão enigmática para, quem
sabe, descobrirem qual o gosto do mundo. Texto: Cícero Gilmar Lopes. Direção: Cícera Carmo.
Elenco: Rose Vieira, Carlous Tousi, Thayany Muniz, Anderson da Gaita e Cícera Carmo.
Cenografia, Figurino e Maquiagem: Cia. Teatral Carcarah Voador. Luz: Davi Sebastião. Som:
Vidah Santos. Duração: 70 minutos. Classificação Indicativa: 12 anos.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 12H – PRAÇA MAUÁ
+ SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 17H – EMISSÁRIO SUBMARINO
[ARRASTÃO] | CIA ETRA DE DANÇA | MOSTRA REGIONAL
Espetáculo que traz à tona questões urgentes dos nossos tempos. Gritos contra o machismo, o
racismo e qualquer forma de preconceito, fazem emergir o empoderamento e a coletividade
arrastada por corpos pulsantes. Arrastar para destampar, para desnudar e escancarar corpos
imperfeitos e suas marcas. Arrastando juntos ninguém fica só nessa luta! Direção: Edvan Monteiro
e Ariadne Filipe. Elenco: Angélica Evangelista, Ariadne Filipe, Bruno Galdino, Caio
Rodrigues, Camila Miranda, Débora Zanluca, Edvan Monteiro, Lucas Onofre, Gisele
Prudêncio e Tamara Tanaka. Duração: 50 minutos. Classificação Indicativa: Livre.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 16H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA
[HYSTERIA] GRUPO XIX DE TEATRO | MOSTRA ESTADUAL
No final do século XIX, nas dependências de um hospício feminino carioca, cinco personagens
internadas como histéricas revelam seus desvios e contradições - reflexos diretos de uma
sociedade em transição, na qual os valores burgueses buscavam adequar a mulher a um novo
pacto social. Cenicamente, abdica-se do palco e dos recursos de sonoplastia e iluminação,
optando-se por um espaço não convencional, no qual a plateia masculina é separada da plateia
feminina, convidada a interagir com as atrizes. Esta interação, aliada a textos previamente
elaborados, gera uma dramaturgia híbrida, única a cada apresentação. Direção: Luiz Fernando
Marques. Criação, Pesquisa de Texto e Figurinos: Grupo XIX de Teatro. Elenco: Evelyn Klein,
Janaína Leite, Juliana Sanches, Mara Helleno e Tatiana Caltabiano. Duração: 70 minutos.
Classificação Indicativa: 14 anos.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 21H – TEATRO GUARANY
[ISSO NÃO É UMA MULATA] | GAMELEIRA ARTES INTEGRADAS (SALVADOR-BA) MOSTRA NACIONAL
“Branca para casar. Mulata para fornicar. Negra para trabalhar”. Partindo da famosa frase de
Gilberto Freyre, o solo questiona as formas de representação da mulher negra além de apontar as
fragilidades do mito da democracia racial brasileira. Estão em cena ironia, clichês, humor,
referências da cultura pop, mas também o diálogo com obras da literatura e notícias da grande
mídia. Direção, dramaturgia e atuação: Mônica Santana. Direção Musical e Sonoplastia: André
Oliveira. Cenografia: Deilton José. Figurino: Cássio Caiazzo. Luz: Luiz Guimarães. Duração: 40
minutos. Classificação Indicativa: 14 anos.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 23H – PRAÇA IGUATEMI MARTINS / MERCADO
[ZONA!] | O COLETIVO | MOSTRA REGIONAL
Crime, fuga e mágoas afogadas em mesa de bar. A sequência a seco não dá conta da experiência
repleta de camadas. Designação de pequenos barcos ou prostitutas, conforme o dicionário, as
catraias são determinantes no itinerário cênico pela zona portuária santista. No primeiro episódio,
em alto mar, personagens perdidos, em busca de ou fugindo de, conduzem o público pela rota
perto dos navios. No segundo, fantasmas do bairro do Paquetá cortejam o espectador pelas ruas e
contornos do Mercado Municipal e cemitério, área outrora de luxo e hoje abandonada. Por fim, o ato em ponte com os cabarés, em um Bar no Paquetá.
Direção: Kadu Veríssimo. Intérpretes criadores /
Dramaturgia: Priscila Ribeiro, Raquel Rollo, Malvina Costa, Caio Martinez Pacheco, Junior
Brassalotti, Julio Mad, Kadu Veríssimo, Mario Acenjo, Thayz Villar e Léo Bacarini. Luz:
Wendell Medeiros e Rafael Ruano. Som: Fernando Góes.  Duração: 180 minutos. Classificação Indicativa: 18
anos.

SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 19H – TEATRO GUARANY
[A REVOLUÇÃO DAS ÁGUAS] | ASSOC. CULTURAL INCENA BRASIL | MOSTRA REGIONAL
O espetáculo “A Revolução das Águas” aborda com poética sensibilidade o universo feminino,
representado pelas lavadeiras, seus cantos, costumes, saberes e contos de realismo fantástico.
Apresentando raízes culturais, através da força da oratória, fé, festivas manifestações e samba de
roda. Pretendemos estabelecer um olhar para o estrangeiro na própria terra, porque em cada
pedaço de terra habita um folclórico imaginário.... Que tece a verdade desta mistura de cores,
crenças e raças. Elenco: Juliana Sousa, Marília Siciliani, Rose Vieira, Maitê Dias, Thayanny
Muniz, Juciléia Rezende, Alex cruz e Tainara Correa. Luz: Juliana Souza. Figurinos: Sérgio
Guerreiro. Cenário: Emanuella Alves e Juliana Souza. Preparação Vocal e Percussão: Rosy
Padron. Duração: 60 minutos. Classificação Indicativa: 12 anos.

SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 20H30 – DOCA VALONGO
[FEMININO ABJETO] NÚCLEO FEMININO ABJETO | MOSTRA ESTADUAL
O espetáculo é uma performance ritualizada, resultado do processo criativo de 13 performers - 12
mulheres e uma pessoa não-binária - que investigam suas relações com o conceito de feminino e,
consequentemente, com suas obscuridades e contradições. Através do uso da narrativa e do
debate, o espetáculo levanta provocações e desconstrói os papéis e estereótipos já consolidados
em nosso imaginário. Ao tecer uma relação de proximidade com o público em um evento teatral
pungente, coloca em xeque muitas das noções já estabelecidas, sobretudo as percepções de
papéis sociais e de gênero. Direção e Concepção: Janaína Leite. Performers: Ana Laís Azanha,
Bruna Betito, Cibele Bissoli, Débora Rebecchi, Emilene Gutierrez, Florido, Gilka Verana,
Juliana Piesco, Letícia Bassit, Maíra Maciel, Olívia Lagua, Ramilla Souza e Sol Faganello.
Dramaturgia: Tatiana Ribeiro. Luz: Afonso Alves Costa. Duração: 120 minutos. Classificação
Indicativa: 18 anos.

SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 23H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA | SALA PLÍNIO MARCOS
[NATUREZA MUERTA] CIA LA DESDEÑOSA | MOSTRA ESTADUAL
Num bar/restaurante, de tempo e espaço não definidos, quatro mulheres estrangeiras convivem
com situações absurdas de maneira serena ou simplesmente se distanciam destas. Conduzidas por
uma figura opressora onipresente, suas identidades e memórias foram perdidas nesta nova terra,
dentro destas novas ordens. Porém, os lapsos de memória de uma das personagens, assim como
a apresentação de uma banda desconhecida, Las Manzanas, fazem com que a normatização que
vivem seja questionada. Livremente inspirado no livro “Gracias por el Fuego” do uruguaio Mário
Benedetti (1920-2009). Direção: Rodolfo Amorim. Elenco: Gabi Costa, Juliana Sanches, Maria
Carolina Dressler e Tatiana Ribeiro. Cenografia: Cristiano Panzarin. Luz: Daniel Gonzalez.
Preparação de Ator: Inês Aranha. Duração: 50 minutos. Classificação Indicativa: 16 anos.

DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 19H30 – TEATRO MUNICIPAL BRÁS CUBAS
[VAGA CARNE] GRACE PASSÔ | MOSTRA NACIONAL
Vaga Carne transita entre a palavra e o movimento, abordando com poesia o universo feminino e
suas raízes culturais. Em cena, um corpo de mulher vive a urgência do discurso, em busca de suas
identidades e de pertencimento. Invadido por uma voz errante, ele narra o que sente enquanto
sujeito, enquanto mulher. E ainda o que finge sentir e o que seu corpo significa para o outro que o
vê. Por este solo, Grace Passô recebeu o Prêmio Shell de Melhor Autora em 2017 e foi indicada ao
prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte de Melhor Espetáculo. Concepção, Atuação e
Texto: Grace Passô. Luz: Nadja Naira. Figurino: Virgílio Andrade. Som: Ricardo Garcia.
Duração: 50 minutos. Classificação: 14 anos.

PROGRAMAÇÃO PARALELA

(DATAS, LOCAIS E RESUMO DAS ATRAÇÕES)
SEXTA, 24 DE AGOSTO, DAS 15H ÀS 19H – PRAÇA DOS ANDRADAS
+ SEXTA, 31 DE AGOSTO – MERCADO MUNICIPAL
+ DOMINGO, 2 DE SETEMBRO – CEU DAS ARTES DA ZONA NOROESTE

[CELLOGRAFF - FIXXA] | EXPOSIÇÃO
Aline Benedito, a Fixxa, é mulher em cena nas ruas de Santos. Muralista premiada no Brasil e no
exterior, já coloriu com sua arte urbana países como Argentina, Japão e Espanha. Nesta instalação
para o Festa 60, ela explora a técnica Cellograff, espalhando pela cidade paredes – meio
translúcidas, meio coloridas, construídas para dar vazão à abundância de sentidos suscitados pela
morte, como obra cujo fim está previsto, dada a suscetibilidade da matéria. A exposição de arte
urbana também acontece no Posto 4 e no Teatro Coliseu nos dias 22/08 e 23/08, respectivamente.

SEXTA, 24 DE AGOSTO, 20H30 – TEATRO COLISEU | ABERTURA
[CORO CÊNICO CÉU DA BOCA] MÚSICA
idealizado em 2005 por Iva Passos, cujo trabalho objetiva proporcionar um olhar mais abrangente à
construção coletiva da música, da literatura e das artes do corpo. O grupo apresenta uma extensa e
variada programação musical e cumpre sua proposta de levar Arte para diferentes espaços. Dessa
forma, agrega às pesquisas realizadas, um diferencial no que se refere a esta modalidade de coral.

SEXTA, 24 DE AGOSTO, 23H – TEATRO COLISEU | ABERTURA
[DJ AFREEKASSIA] MÚSICA
Afreekassia é DJ do coletivo Alce Negro, ilustradora, MC e produtora, que faz da arte uma forma de
expressão cultural e ferramenta de busca da ancestralidade. Traz na natureza de suas produções e
reproduções a estética, a identidade e a sensibilidade preta e feminina. Na discotecagem ela
carrega a sonoridade do Punanny Sound System, também expressa nos registros sonoros do grupo
Incognito Rap.

DE 24 A 29 DE AGOSTO, 16H – CINE ARTE POSTO 4
[MOSTRA DE LONGAS FESTA 60] | AUDIOVISUAL
Alinhada ao tema do festival, reúne títulos clássicos de nacionalidades e culturas diversas, sempre
com a mulher como protagonista e o teatro como ponto de partida do enredo.
 Dia 24: A MALVADA (“All About
Eve” | Dir: Joseph Makiewicz). Dia 25: PINA (“Pina” | Dir: Wim Wenders).
Dia 26: A FALECIDA (Dir:
León Hirszman).
Dia 27: CABARET (“Cabaret” | Dir: Bob Fosse).
 Dia 28: TUDO SOBRE MINHA
MÃE (“Todo Sobre Mi Madre” | Dir: Pedro Almodóvar).
Dia 29: RISCADO (Dir: Gustavo Pizzi).

SÁBADO E DOMINGO, 25 E 26 DE AGOSTO, DAS 9H ÀS 12H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – CELA 4
[INTERPRETAÇÃO, COM FERNANDA AZEVEDO] | OFICINA
“As Mulheres e os Silêncios da História” pretende, através de estímulos teatrais (em especial do
teatro documentário), literários e recursos audiovisuais, discutir algumas ferramentas necessárias
para que as mulheres percebam, assumam o protagonismo e escrevam suas próprias histórias -
confiantes de que podem, a partir de suas experiências pessoais, ampliar o debate sobre a
opressão contra as mulheres, passando da esfera privada e íntima para o espaço público.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, DAS 15H ÀS 19H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[MULHERES 2 IMPRESSÕES DE CORPO E ALMA] | EXPOSIÇÃO
Abertura da exposição de pôsteres que reúne 30 designers santistas e 60 obras com impressão
frente em verso. São criações autorais, com envolvimento junto à luta da mulher na sociedade, que
trazem de um lado a artista retratada por ela mesma e, do outro, uma mulher que a inspira e
represente como como símbolo de força, luta e arte. Curadoria: Márcia Okida.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, DAS 15H ÀS 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA - CELA
[VIVA PAGU] | EXPOSIÇÃO
As peças que compõem cada um dos três atos discursam, dialogam e contrastam entre si, fazendo
aparecer as muitas Patrícias. A exposição é baseada na obra da biógrafa de Pagu, Lúcia Maria
Teixeira, em comemoração aos 30 anos desde a publicação do primeiro livro: a trilogia Pagu- Livre
na Imaginação, no Espaço e no Tempo, Croquis de Pagu e Viva Pagu – Fotobiografia de Patrícia
Galvão. Curadoria: Lúcia Teixeira. Realização: Unisanta – Universidade Santa Cecília. Centro
Pagu Unisanta.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, DAS 15H ÀS 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – FOYER DA SALA PLÍNIO MARCOS
[CROQUIS DA PAGU] | EXPOSIÇÃO
A Exposição Croquis de Pagu, extraída do livro homônimo da biógrafa, apresenta desenhos que
permaneceram inéditos por 75 anos. Inicialmente, eles estavam em poder de Oswald de Andrade.
Com a sua morte, passaram ao filho Rudá de Andrade, que os entregou à Lúcia em 2004. Além dos
Croquis, também estão representadas as obras do Álbum de Pagu, este que foi entregue como
presente para Tarsila do Amaral, pela própria autora. Curadoria: Lúcia Teixeira. Realização:
Unisanta – Universidade Santa Cecília. Centro Pagu Unisanta.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, DAS 15H ÀS 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – CELA 2
[TEP 50 ANOS - DIGITAL] | EXPOSIÇÃO
Exposição digitalizada dos 50 anos do grupo TEP – Teatro Experimental de Pesquisas, reunindo
boa parte de seu acervo imagético, organizado em setores de amostragem em material multimídia
especialmente para o FESTA60. Contempla espetáculos, curtas-metragens, vinhetas poéticas e
fotografias que registram a produção do grupo ao longo de sua história. Direção Geral: Gilson de
Melo Barros.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, A PARTIR DAS 16H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[RODA 7 SAIAS] | ARTES INTEGRADAS

16h - Feira de mulheres artesãs, artistas e produtoras.
17h - Exposição da Fotógrafa Juliana
Florentino, “Olhares de Negritude”, que reúne retratos de mulheres negras na diáspora.
 17h - Cia Cena Preta, intervenção do grupo santista de teatro protagonizado por artistas negros sobre a situação de invisibilidade social da população negra no Brasil.
18h - Exibição da websérie “Nossa
Voz Ecoa”, da rapper e influenciadora Preta Rara, com temática relacionada à cultura e estética
negra, seguida de roda de conversa com a artista e sua equipe.
19h - Oficina do Coco das
Marias, com Jaque da Silva e Kida Alves, cujo objetivo é difundir a cultura nordestina e fortalecer o
papel da mulher a partir dos ensinamentos, sabedoria e memórias contidas no ritmo.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, 20H30 – TEATRO GUARANY (FOYER)
[AMESEGINALEHU] | EXPOSIÇÃOÃO
Abertura da exposição da fotógrafa Bruna Veloso que foca a mulher e seu comportamento diante
de três das 80 tribos milenares da Etiópia: Mursi, Karo e Hamer, na região do Vale do Rio Omo. O
material foi registrado durante viagem de 12 dias pelo país africano e busca trazer uma realidade
distante, mas urgente de mudanças socioambientais, além de questões como isolamento e
resistência.

SÁBADO, 25 DE AGOSTO, 0H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[NOITE DAS MINA DO HIP HOP] MÚSICA + INTERVENÇÃO URBANA +
Show da rapper Preta Rara. Em carreira solo desde 2013, seus raps abordam questões como
empoderamento feminino, racismo e cotidiano. Também haverá intervenções das rappers Natt
Maat, Litta Afrontite e uma edição especial do Sarau da Banca, organizado por Thamyres
Iannuzzi, com participações de Jordana, Moç e USREC, além de batalhas de rima, open mic e
roda de conversa (“Amor x Ego”).

DOMINGO, 26 DE AGOSTO ,14H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[PERSPECTIVA HISTÓRICA E CONTEMPORÂNEA DA MULHER DO TEATRO] FORMATIVA
MESA 1, com mediação de Paula Albuquerque. Tema: Teatro, Política e Sociedade. Participação
do elenco dos espetáculos “O Canto das Mulheres do Asfalto” e “A Farsa do Açúcar Queimado”.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 19H – TEATRO MUNICIPAL BRÁS CUBAS (FOYER)
[TEP 50 ANOS] | EXPOSIÇÃO
Abertura da exposição dos 50 anos do grupo TEP – Teatro Experimental de Pesquisas, com boa
parte de seu acervo imagético (figurinos, adereços, cartazes, festivais, fotografias), com curadoria
de Gilson de Melo Barros e Lindalva Parolini. Até 17 de setembro.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 19H – TEATRO MUNICIPAL BRÁS CUBAS
[“AS FIANDEIRAS” - TEP 50 ANOS] | TEATROÃO
Espetáculo mais recente do grupo TEP, reúne recortes de seis narrativas escritas e interpretadas,
em sua maioria, por mulheres, tratando de questões restritas ao universo feminino, tema
desenvolvido pelo grupo a partir de seminário realizado sob o foco “O Princípio Feminino”. A
montagem traz ainda canções compostas originalmente para espetáculos montados pelo grupo,
que serão interpretadas pelo seu elenco. Textos Originais: Beatriz Rota Rossi, Kelly Alonso,
Gilson de Melo Barros e Eurípedes. Músicas Originais: Julinho Bittencourt e Zeca Sampaio.
Figurinos: Lindalva Parolini. Luz: Maurício Garcia. Cenografia: TEP. Elenco: Edelvira Pereira,
Gabriel Santana, Laura Lavorato, Liliane São Paulo, Tales Ordakji e Yara Nascimento.
Duração: 60 minutos. Classificação Indicativa: 14 anos.

DOMINGO, 26 DE AGOSTO, 22H30 – PRAÇA DOS ANDRADAS
[“ABSM – DESOBEDIENTE, MALCRIADA E SUBVERSIVA” | INTERVENÇÃO URBANAÃO
O Coletivo ABSM realiza uma apresentação de música eletrônica somente com mulheres e seus
respectivos sets e produções. Criado em 2015, o grupo realiza eventos de ocupação de espaços
públicos de forma autônoma e independente, com atividades que incluem intervenções teatrais,
rodas de conversa sobre direito e cidade, workshops de produção e projeções, entre outras. Há
mutirões de limpeza pré e pós evento.

SEGUNDA-FEIRA, 27 DE AGOSTO, 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[PAUTAS E LUTAS] FORMATIVA
Reunião do Movimento Teatral da Baixada Santista com a classe.

SEGUNDA-FEIRA, 27 DE AGOSTO ,21H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[MOSTRA DAS MINAS] AUDIOVISUAL
Mostra independente cujo objetivo é incentivar a produção e manter viva a discussão acerca do
protagonismo da mulher no mercado cinematográfico e audiovisual. As sessões contam com
curtas-metragens seguidos de roda de conversa e têm como objetivo não só discutir os filmes
exibidos, mas sua relação com o protagonismo feminino dentro e fora das telas. Para o FESTA 60
serão selecionados filmes nacionais e regionais com curadoria coletiva feita por mulheres atuantes
do setor na Baixada Santista.
 Direção e Coordenação Geral: Iasmin Alvarez. Curadoria: Coletivo
de Mulheres do Cinema e Audiovisual da Baixada Santista.


TERÇA E QUARTA-FEIRA, 28 E 29 DE AGOSTO, DAS 10H ÀS 13H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – CELA 4
[DIREÇÃO, COM GEORGETTE FADEL] | OFICINA
“A Mulher na Direção Teatral” visa proporcionar o exercício do pensamento crítico e permitir a
sensibilização, através de meios artísticos, para as questões relacionadas a questão de gênero.
Através de uma ressignificação simbólica que a arte é capaz de provocar, a oficina visa a
capacitação das mulheres para a compreensão da situação específica de desequilíbrio de gênero,
gerando alternativas de comportamento. Público alvo: Mulheres, atrizes, estudantes de artes
cênicas.

TERÇA-FEIRA, 28 DE AGOSTO, 19H – DOCA VALONGO
[CURADORIA DO FESTIVAL VALONGO] | ARTES INTEGRADAS
Ao entender que o festival começa no momento em que estabelece relações com o coletivo, os
tempos e o território, o Valongo internacional da Imagem propõe encontro aberto para uma imersão
na pesquisa curatorial que está sendo desenvolvida para esta edição 2018. A atividade contará
com organizadores, curadores e convidados e destina-se a aprofundar a experiência de se fazer e
participar de um festival.

QUARTA-FEIRA, 29 DE AGOSTO, 18H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO 'GÓRGONA', COM MARIA ALICE VERGUEIRO] AUDIOVISUAL
Aos 83 anos, a atriz Maria Alice Vergueiro, grande Dama do Teatro Paulistano é personagem
principal deste documentário. Filmado ao longo de cinco anos, a obra mostra a situação atual da
intérprete que é portadora do mal de Parkinson desde 2001.

QUARTA-FEIRA, 29 DE AGOSTO, 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[BATE-PAPO COM A ATRIZ MARIA ALICE VERGUEIRO] FORMATIVA
A atriz Maria Alice Vergueiro é um ícone do moderno teatro brasileiro. Com 56 anos de carreira,
integrou os grupos Ornitorrinco e Oficina, foi uma das principais intérpretes do dramaturgo Bertold
Brecht no país e protagonizou um dos primeiros virais da internet, o curta “Tapa Na Pantera”. Sua
trajetória é contada no documentário “Górgona”, de Pedro Jezler e Fábio Furtado, lançado este
ano.

QUINTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO, 16H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – CELA
[PROJETO GURI – O GRANDE CIRCO MÍSTICO DE CHICO BUARQUE] MÚSICA
Os alunos apresentam canções da obra de Chico Buarque junto a artistas convidados que
encenam e emprestam suas vozes para agregar a apresentação instrumental dos Guris.
Responsável: Deblas Alves.

QUINTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO, 22H30 – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – SALA PLÍNIO MARCOS
[LANÇAMENTO DO LIVRO “CIRCO TEATRO: UMA BELLA COMPANHIA + CABARET PAGU] CIRCO
A obra marca os 20 anos da Bella Cia. e sua luta através do riso e do encantamento. Uma história
contada através de seus artistas e dos inúmeros espetáculos, oficinas, viagens, festivais,
dificuldades e histórias que pontuaram sua trajetória.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 19H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – SALA PLÍNIO MARCOS
[CORO CÊNICO CÉU DA BOCA] MÚSICA
Idealizado em 2005 pela diretora cênica, musical e regente Iva Passos, o grupo busca um olhar
mais abrangente à construção coletiva da música, da literatura e das artes do corpo. No espetáculo
“Todas As Noites Ouço Que Gemem As Águas” foca a literatura portuguesa, especialmente os
poemas de Fernando Pessoa, Florbela Espanca e Miguel Torga. E foca a nostalgia do povo
lusitano, a saudade de quem foi e de quem ficou, os encontros e as despedidas Concepção e
Direção Geral: Iva Passos. Arranjos: Jonas Paulo. Luz: Edvan Monteiro. Piano: Liséte
Espíndola. Violão: Fabrício Leite.

SEXTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO, 23H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[FOR ALL (PARA ELAS)] + [FÉ MENINO, FÉ MENINA, FÉ NA FESTA] MÚSICA + INTERVENÇÃO URBANA
O forró como manifestação da arte, cultura e liberdade é o mote do For All, que nesta edição traz
Simone Max e o trio pé de serra Forró da Terra e o Baião de DJ,
vertente da Carcará Produções que visa difundir ritmos, gêneros e crenças contemporâneas do
nordeste brasileiro, além de experimentações da mistura do forró com a música eletrônica. Na
sequência, à meia-noite, o quarteto formado por duas mulheres e dois homens mostra a
importância do protagonismo da mulher e o seu lugar de fala no mundo, inclusive no universo do
forró. Baião, xote, xaxado, arrasta-pé, forró, coco e maracatu integram o repertório de Jaque da
Silva (pandeiro) e Naiara Perez (zabumba).

SÁBADO E DOMINGO, 1 E 2 DE SETEMBRO, DAS 10H ÀS 13H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – CELA 4
[INTERPRETAÇÃO MELODRAMÁTICA, COM FABÍOLA MORAIS] | OFICINA
O workshop, destinado a atores e estudantes de teatro, tem por objetivo propiciar uma introdução à
interpretação melodramática. Nascido na França no século XIX, o melodrama fez um estrondoso
sucesso, trazendo à cena os grandes sentimentos humanos. A presença cênica, a dose certa do
exagero, o corpo ampliado, a gestualidade e procedimentos do teatro popular são ferramentas
preciosas para o artista da cena, que pode valer-se delas inclusive em outras estéticas.

SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 14H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)
[PERSPECTIVA HISTÓRICA E CONTEMPORÂNEA DA MULHER DO TEATRO] FORMATIVA
MESA 2, com mediação de Raquel Rollo. Tema: Teatro, Política e Sociedade. Participação do
elenco dos espetáculos “Hysteria” e “Vaga Carne”.

SÁBADO, 1 DE SETEMBRO, 0H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[A PRAÇA É NOSSA (DESSA VEZ É DELAS] MÚSICA + INTERVENÇÃO URBANA +
Festa de ocupação de rua que desde 2016 toca música pop, que desta vez terá como convidadas a
DJ Sol e da influenciadora digital Mayara EFE, além das DJs residentes Laureta, Karola e Rosa.

DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 16H – CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA – ESPAÇO PAGÚ (PÁTIO INTERNO)

[DEBATE GERAL COM OS GRUPOS DA MOSTRA REGIONAL] | FORMATIVA
Com as debatedoras Natália Siufi e Vanéssia Gomes.

DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 21H – TEATRO GUARANY
[CLARIANAS] | MÚSICA
Grupo de pesquisa musical que tem como mote principal a investigação da voz da mulher
“ancestral” na música popular do Brasil, a partir do contexto da música de tradição popular, cantos
caboclos de matriz afro-nordestina-indígena-periférica das comunidades brasileiras. A base do
repertório é autoral, unindo vozes aos tambores, poesia, teatralidade e celebração.
Cantoras/Atrizes/Percussionistas: Martinha Soares, Naloana Lima e Naruna Costa. Músicos:
Giovani Di Ganzá (violibeca, violão), Cá Raiza (violino), Gisah Santos, Jackie Cunha
(percussão). Direção Musical: Naruna Costa e Giovani di Ganzá. Direção de Palco: Mario Pazini.
Luz: Alexandre Souza. Figurino: Claudia Schapira.

DOMINGO, 2 DE SETEMBRO, 22H – PRAÇA DOS ANDRADAS
[OCUPAÇÃO E.L.A] MÚSICA + INTERVENÇÃO URBANA
100% protagonizado por mulheres, fazedoras de cultura e arte nas suas mais variáveis vertentes e
plenas no exercício de sua liberdade, o Movimento E.L.A. tem a arte e cultura como eixo disparador
para o empoderamento das mulheres e sua pluralidade. A ocupação contará com a performance
KamaKhya – A Arte da Dança Tribalística, que combina técnicas, movimentos e estilos, desde a
tradição oriental até o break dance, além da dança-teatro.

TODOS OS DIAS



                                        A artista Fixxa espalha arte pelas paredes da cidade

[MOBILIÁRIO URBANO] ARTES INTEGRADASDAS
O grupo GarageSocial013 ocupa espaços da cidade com soluções, ideias criativas e funcionais a
partir do reaproveitamento de pallets.

TODOS OS DIAS - CENTRO CULTURAL CADEIA VELHA
[MEMÓRIAS: 60 ANOS DE FESTA!] AUDIOVISUAL
Em parceria com o programa Memória Oral da Fundação Arquivo e Memória de Santos, um registro
documental com depoimentos de artistas que passaram pelos 60 anos de FESTA estará em
exibição permanente no pátio interno do Centro Cultural Cadeia Velha.

ENDEREÇOS:

Bacia do Mercado Municipal de Santos | Praça Iguatemi Martins, s/n - Vila Nova
Centro Cultural Cadeia Velha | Praça dos Andradas, s/n – Centro
Cine Arte Posto 4 – Av. Vicente de Carvalho, s/n - Gonzaga
CEU das Artes da Zona Noroeste | Praça da Paz Universal, s/n – Jardim Rádio Clube
Doca Valongo | Rua Tuiuti, 26 – Centro
FeirArte | Rua Conselheiro Ribas, 121 – Aparecida
Monte Serrat | Praça Correia de Melo, 33 – Centro
Pq. Mun. Roberto Mário Santini (Emissário Submarino) | Avenida Presidente Wilson, s/n - José Menino
Rua de Lazer | Orla da Praia, entre a Avenida Ana Costa e a Avenida Conselheiro Nébias
Teatro Coliseu | Rua Amador Bueno, 237 – Centro Histórico
Teatro Guarany | Praça dos Andradas, 100 – Centro Histórico
Teatro Municipal Brás Cubas | Avenida Senador Pinheiro Machado, 48 - Vila Mathias


  
O Festival é uma parceria entre o Movimento Teatral da Baixada Santista, o Sesc Santos, a Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Santos, a Secretaria da
Cultura do Estado de São Paulo, o Governo do Estado de São Paulo – ProAC 2017 e
o Ministério da Cultura – Governo Federal.